quarta-feira, 12 de novembro de 2008

De mais ninguém

Se ele preferiu ficar sozinho, Ou já tem um outro bem. Se ele me deixou a dor é minha, A dor é de quem tem. É meu troféu, é o que restou, É o que me aquece sem me dar calor Se eu não tenho o meu amor, Eu tenho a minha dor.
P.S. O fora do descompasso. Até que eu finjo bem. Porque dói tanto assim? Tem remédio pra isso? Já sei... dá pra azunhar o rosto inteiro até sangrar porque pode ser que assim a dor da ferida supere a dor que sinto por estar com o coração esmagado.

Um comentário:

deni disse...

Mariii, será que eu entendi bem? =/ Oh céus, você tbm passando essa dor? Quer conversar?